Meu corpo: Minha consciência.

A um tempo atrás eu fiz um post aqui no blog  falando sobre minha relação com meu corpo. Sobre me sentir bem comigo mesma independente de estar mais gordinha ou mais magrinha e que eu me sentir bem comigo mesma não tem a ver com o que os pensam sobre mim e sim com minha atitude em relação á vida, da maneira como eu me coloco diante das situações e encaro a vida e levo a vida e que assim eu me dou bem com as coisas e com as pessoas ao meu redor.

Também falei sobre o padrão de beleza imposto na sociedade, sobre as modelos plus size de que acho uma idéia super bacana e inclusiva ter esse nicho agora empoderador mas que na realidade eu não vejo as meninas seguindo esse padrão de beleza tipo comendo 15 hambúgueres pra parecer com a modelo plus size fulana de tal. É mais uma coisa pra quem já é plus size se auto afirmar.

E com isso, com esse gancho eu faço o post de hoje que quero falar sobre reeducação alimentar.

Com base na minha experiência e não em estudos científicos ou estudos nutricionais o que eu posso dizer é que eu estava acima do peso quando saí da faculdade de Direito em 2016. Estava pesando 74 quilos pra 1,70 de altura e 30 anos de idade na época.

Eu fiz 1 ano de academia e não fazia dieta. Estava namorando, comia de tudo quanto que era tipo de porcaria como hambúguer, Mc Donalds, pizza, refrigerante, batata frita, bolinho de arroz, onion rings, doces, sorvete, … e me matava na academia SEM RESULTADO. Perdi 2kg em 1 ano de academia nesse ritmo. E eu pagava uma academia muito cara. E ficava 1 a 2 horas na academia malhando e nada… era frustrante.

Eu queria emagrecer. Ou ao menos eu achava que queria. Mas não fazia por onde.

Terminei o namoro, e antes de terminar eu já queria entrar pro Vigilantes do Peso mas meu ex namorado era contra. Como eu não tinha cartão de crédito na época ele não quis me emprestar o cartão dele pra eu entrar lá e depois que eu terminei com ele eu consegui um cartão de crédito e a primeira coisa que eu fiz foi entrar pro Vigilantes do Peso. Isso em Março de 2017.

De março de 2017 á julho de 2017 foram menos 7kg eliminados com a ajuda dos Vigilantes do Peso e eu praticava 20 minutos de academia 3 vezes por semana. Fazia uma academia mais barata agora, tinha mudado de faculdade agora pra Design Gráfico, estava vivendo outra fase, muito mais feliz, e fazia treinos HIIT de corrida de 10 minutos com 10 minutos de aquecimento. Dava 20 minutos no total. 3 vezes na semana. Quando estava empolgada ia 4 vezes.

De 72kg que entrei nos Vigilantes do Peso, com a reeducação alimentar que fiz baixei meu peso pra 65kg e agora estava muito mais feliz com meu corpo. Mas mesmo assim ainda não estava satisfeita. Ainda estava infeliz com minha barriga.

A coisa agora virou estética.

Não basta agora só estar magra.

Eu quero estar com um corpo muito bonito e lapidado. E isso, volto a dizer: é com dieta. É com foco, disciplina, dedicação, e mudança de mentalidade.

Fiz um planejamento no orçamento, saí do Vigilantes, que só se preocupava com os quilos na balança e não com o ideal do corpo lapidado que eu almejava agora, e fui buscar um nutricionista esportivo.

Me consultei com o Nutricionista Rafael Amaral que me passou uma dieta incrível de se fazer e hoje passei a tarde toda no supermercado fazendo as compras da semana pra me alimentar conforme o combinado.

Spoiler: Não vou comer frutas. Não vou tomar leite. Não vou comer doces. Nem refrigerante. Nem arroz. Nem feijão. Mas tudo que vou comer são coisas que gosto de comer e acho que vou me dar muito bem comendo elas. 🙂 Acho que não vou sentir falta de nada.

Caprichei no tempero Mrs Dash pra dar aquela temperadinha na comida e tem sal rosa em casa. Acho que é tudo que eu preciso. 🙂

Daqui a uns 3 meses eu posto aqui a foto de hoje, quando comecei a dieta, e a foto de daqui a 3 meses de dieta, pra mostrar como tem sido a evolução da dieta e o que eu alcancei até lá. Claro, se o nutri falar que posso fazer menos tempo dessa dieta eu posto uma foto em menos tempo do que isso…. mas acho que 3 meses é um número bom…. no meu “achômentro”… hahahahaa

Captura de Tela 2017-09-30 às 18.55.35

Anúncios

AV1 – 1º Semestre de Desenho

Nessa primeira avaliação da matéria de Desenho do 1º semestre do curso de Design Gráfico e Digital do IED foi pedido que desenhássemos um mesmo objeto em vários ângulos diferentes utilizando diferentes técnicas para fazer o desenho.

Eu optei por variar o tipo de material, usando ora o gouache, ora o nanquim, ora o lápis de cor, o carvão, a esferográfica, o giz pastel oleoso, a stabillo, o marca-texto e a aquarela.

E o resultado foi esse. Era pra ser 16 desenhos no limite total.

sapato08

sapato07

sapato06

sapato05

sapato04

sapato03

sapato02

sapato01

Meus novos exercícios no Photoshop – Seleção

Apesar de saber que para uma boa seleção profissional o melhor é utilizar a caneta (Pen Tool) e desenhar um demarcador que fica salvo num canal podendo ser utilizado a qualquer hora como se fosse uma seleção salva que você puxa do canal a hora que quiser e tem muito mais precisão no detalhe do desenho das bordas da sua imagem, eu estou testando as maneiras mais básicas de seleção para fazer alguns trabalhos lúdicos e brincar um pouco no Photoshop.

Resolvi pegar uma imagem de uma modelo com cabelos esvoaçantes e recortar a imagem para modificar o tom do cabelo dela.

Na primeira tentativa eu utilizei apenas a Magic Wand e a ferramenta de seleção rápida combinada com Refine Wedge que vai fazer o efeito de auxiliar na busca de pixels que ainda não estão selecionados quando são por exemplo penas de uma águia, ou no caso, cabelos que tem aqueles fios soltos.

Infelizmente o resultado não foi muito bom. Pois selecionou também algumas áreas em branco que estavam entre os fios do cabelo da modelo e que inviabilizava a aplicação de um fundo colorido ou uma imagem bonita ao fundo…. e então mantive o fundo branco como vocês podem ver. Alterei apenas a cor do cabelo da modelo:

lionesse-beauty-bar-1

lionesse-beauty-bar-2

 

Nisso eu não me dei por satisfeita e fui procurar um tutorial que me explicasse como que eu poderia selecionar o cabelo de uma modelo de forma mais profissional e perfeita para poder fazer um trabalho mais bonito e criativo e achei esse tutorial aqui ó:

E em 5 minutinhos entendi que através do channels criando um canal Alfa1 a partir de um dos canais RGB que tivesse maior contraste da imagem da modelo com o fundo branco, no meu caso utilizei o canal azul, eu poderia criar uma espécie de máscara que iria facilitar o meu trabalho e selecionar apenas o cabelo e a modelo excluindo o fundo branco fazendo assim todos os ajustes necessários em níveis, e pintando com o pincel de cor preta no canal Alfa 1 e depois carregando a seleção eu poderia duplicar a camada e ter só a modelo e seus cabelos sem o fundo branco e voilá! Tudo pronto pra começar a brincar! 😀

Fiz alguns testes e o que eu mais gostei foi esse:

lionesse-beauty-bar-4

 

Obs: Vale a pena lembrar que não me preocupei aqui muito com a resolução das imagens que escolhi porque foram apenas testes de técnicas que estive fazendo, então com certeza se eu for imprimir, primeiro vai estar em RGB e segundo, a resolução não vai estar correta. Foi apenas um teste que pratiquei a técnica do recorte de cabelos e procurei aprimorar a estética no desenvolvimento de um layout… 🙂

Claro que se eu estivesse fazendo um trabalho sério procuraria uma resolução para impressão com 300 dpi, colocaria tudo no modo CMYK, tudo bonitinho como manda o figurino… 😉 Mas aqui é só um teste.

Bom gente, esse foi meu resultado de hoje. E aí, gostaram?

Abraços,

Maíra Brito.

 

 

Meu novo Instagram.

Só caiu agora a ficha pra mim que essa coisa do Instagram é tudo falso. kkkkkkkk

Gente, era tanta reportagem e matérias dizendo que a fulaninha tinha tal estilo de vida e fazia tal coisa e sei lá mais o que e blá blá blá que eu fiquei meio perdida nesse aplicativo.

Sei lá, como não sou celebridade nenhuma eu ia publicando as fotos corriqueiras da minha rotina sem me preocupar em fazer um “tipo” na rede social.

Mas em fim, numa dessas tive uma epifania e pensei “vou criar um Instagram novo pra colocar só as fotos dos meus estudos”.

E não é que ficou legal?

Eu já não tenho mais saco pra entrar no facebook! Já acho facebook um lugar chato!

O Insta novo que eu fiz me deixou mó feliz. 😀

E estou aqui compartilhando uma foto dele pra vocês seguirem lá também.

Bom, é um perfil que mostra minha rotina de estudos onde dou algumas dicas de como estudar pra melhorar o desempenho nas provas que a pessoa for fazer. Lá eu mostro músicas que gosto de ouvir durante meus estudos, meu ambiente de concentração, posto mensagens motivacionais, dicas de livros… tudo na área jurídica, curso que estou fazendo desde 2013.

Em 2012 eu resolvi que ia entrar em um cursinho preparatório pra esses grandes vestibulares voltados pra universidades públicas. E fiquei 6 meses estudando em ritmo intenso todas as matérias do 2º grau. Minha 1º opção era fazer a EACH – USP (Moda) mas na hora eu tive um pensamento muito louco! Eu virei e pensei “Cara, eu tô estudando que nem uma louca pra ir fazer uma faculdade de Moda?” … Como todos nós sabemos, escolher essa área como profissão é uma escolha árdua e bem diferente da fantasia glamurosa que a mídia passa pra gente.

E decidi que ia fazer então um curso mais tradicional. Eu nem sabia o que fazer na real! HAHAHA

Porque por mim Moda tinha que ser mais valorizada mesmo! Design era um curso que eu gostaria de fazer também e acho que essa área é mais valorizada do que a Moda. Pra quem faz Moda e depois quer fazer Design eu acho uma boa porque tem muito a ver. É tipo uma extensão, uma continuidade.

Porque assim, eu odeio chão de fábrica. E pelo menos se você fizer design você trabalha num escritório lindinho ❤ hahahahahahah

Aí fiz uma lista de todos os cursos que eu tinha vontade de fazer. E Mesmo assim a lista era grande aí fui por eliminação… eliminei tudo o que fosse muito parecido com Moda pra “não correr o risco” de dar ruim de novo hahahahahahahaha E aí peguei a lista dos cursos mais diferentes tipo Adm, Direito, Comércio Exterior, Letras… e foi isso.

No final eu fui pra Anhembi Morumbi e comecei o curso de Direito que estou fazendo até hoje. 🙂

eeeeeeeee!!!!

Bom, sem mais delongas abaixo uma foto do meu perfil @concurseiragabaritada

12191759_10153240992017816_735787584998708035_n

Passion For Baking – Manuela Kjeilen

Olá gatas e gatos! 🙂 Tudo bem com vocês?

Nessa madrugada eu comecei a fazer umas pesquisas loucas na web sobre confeitaria, minha mais nova obsessão, e achei um site tão lindo mas tão lindo que deu vontade de lamber a tela do celular!

O blog é feito pela norueguesa Manuela Kjeilen, mãe de 5 filhos que tem a paixão pela confeitaria que já lançou dois livros e mostra todas essas receitas lindas que ela faz no blog dela pra gente passo a passo!

Logo de cara eu que não entendi em qual língua estava escrito o blog dela fui meio que deduzindo onde estavam as receitas e vi essa lista imensa em ordem alfabética que me deixou louca querendo clicar de um em um! Cliquei numa receita com um nome bem louco mas que falava “Oreo”. E olha o que a pareceu:

DSC_0657

Foto: Manuela Kjeilen

DSC_0603

Foto: Manuela Kjeilen

DSC_0497

Foto: Manuela Kjeilen DSC_0587

Foto: Manuela Kjeilen

DSC_0719

Foto: Manuela Kjeilen

Jesus!!!! Olha esse rosa! Esse creme rosa que incrível!!!! Nossa… e todas as receitas dela são assim fofinhas, meiguinhas! Gostei muito do estilo dela e das fotografias que ela faz. 🙂 É uma ótima referência e uma nova descoberta. eeeee!!!
O blog dela dá pra ser traduzido, tem uma opção pra isso que redireciona pro google translate e o nome dessa receita que acabei de mostrar pra vocês é “Biscoito Oreo Recheado”. Pelo que estou lendo aqui é um marshmellow de framboesa esse recheio e lá ela dá o passo a passo. Então clica aqui e confere tudo lá.

Para acessar a home page do blog dela basta clicar aqui.

E aí gente, gostaram? Acho que dá pra se inspirar bastante né? Tem alguma receita de lá que vc gostou muito?

Colaborem com o meu blog e deixem comentários, dê likes e gostando muito do que viu por aqui segue lá no facebook 🙂

Beijão galera! Muah! ❤

Lugares pra estudar Confeitaria em São Paulo

Olá! Tudo bem? Vou continuar falando mais um pouco sobre confeitaria.

Pelo que andei pesquisando, a área da confeitaria é muito nova no Brasil e pelo que pude observar ela faz parte da grade dos cursos de graduação em Gastronomia e são também cursos de pós graduação em algumas universidades. Além disso você pode também optar por fazer cursos modulares sobre um tópico específico tipo “cupcakes”, “bolos e tortas”, “doces finos”, “brigadeiro gourmet” e assim por diante.

Eu não tenho propriedade nenhuma no assunto pra falar o que é bom e o que é ruim, meu intuito com esse post não é avaliar os cursos que tem aí no mercado. Eu só estou compartilhando com vocês o que achei de curso por aí e o que eu faria.

Anhembi Morumbi:

A minha vontade mesmo era de fazer o curso de pós graduação na Anhembi Morumbi em Confeitaria e Panificação porque é um curso de 1 ano e meio e me deu a sensação de ser uma coisa contínua… que eu iria aprender tanto na teoria quanto na prática e as coisas iriam evoluindo e fazendo um maior sentido.
Tipo acho que eles devem falar dos tipos de açúcar, dos tipos de farinha, porque usa um porque usa outro e tal… mas eu não sei se o curso é assim mesmo porque eu não fiz ele ainda. Eu ainda não sou formada e não posso fazer esse curso. Só depois que me formar.

Senac:

Aí eu pensei em fazer alguns cursos do Senac Aclimação, aqui em São Paulo, e cheguei até a me inscrever no curso de “Bolos e Tortas”. Eram 10 receitas e 5 dias de aula. Então eu calculei que iríamos fazer 2 receitas por dia. Mas eu acabei desistindo do curso e não sei se as receitas são preparadas mesmo pelos alunos ou se só assistimos o professor fazendo… em fim. Mas eles fornecem apostila e tal, então tem teoria. Dessas 10 receitas eu gostava de 5, as outras 5 são doces que eu não gosto. Mas gosto é pessoal. E quando fui pesquisar no google essas receitas elas tinham cara daquelas tortas e bolos de padaria sabe? Nada contra os doces de padaria, eles já me salvaram diversas vezes em comemorações em casa com a família. Mas eu acho feio esses tipos de doce. É muito simples. Não é sofisticado. Aquele chantilly com fios de ovos…. putz. horrendo.

Ateliê Escola Vivian Feldman:

Esse Ateliê eu descobri no google mesmo, ainda não fui até lá visitar, mas pelo site dá pra ver que é um local todo organizado, planejado, tem uma estrutura boa e os cursos são em tópicos tipo “Cake Designer Iniciante”, “Bem Casados”, “Doces Finos” e por aí vai.
A Vivian tem um currículo incrível, estudou fora, se especializou, voltou pro Brasil e fez parte do corpo docente do curso de Confeitaria e Panificação da Anhembi Morumbi.
Eu achei um ótimo curso e tenho vontade de fazer vários cursos por lá. O Ateliê fica em Perdizes, aqui em São Paulo.

Loja Santo Antônio:

Essa loja fica no Tatuapé e lá você encontra tudo quanto que é tipo de produtos pra confeitaria tanto na parte alimentícia quanto em embalagens e utensílios. No segundo andar da loja tem uma sala super ampla, com uma bancada pro professor e as cadeiras pros alunos. Ninguém põe a mão na massa pelo que eu vi quando fui lá, fica todo mundo anotando as coisas que o professor está dizendo. E rolam também umas demonstrações de receitas que o professor executa.
Eu achei os cursos super interessantes, são baratinhos, rápidos e parecem ser legais.

Então são esses os cursos que eu andei pesquisando e pensando em fazer, e que cabem no meu bolso, porque estudar fora do país não faz parte da minha realidade e eu não tenho pretensão de me profissionalizar em confeitaria. Eu gostaria fazer isso por diversão. Uma diversão que eu investisse pra fazer super bem e tirar foto, postar e falar sobre o assunto. 🙂
Estou fazendo minha segunda faculdade, de Direito, e pretendo me formar nela e ter isso como profissão e quem sabe, quando acabar a facul eu faço a pós na Anhembi.

7745f6c2d728ae4269af1728c74d72dc

Creme de Pistache e Hortelã.

Olá! Tudo bem? Hoje eu vou falar um pouquinho sobre uma paixão minha: a confeitaria!

A pouco tempo atrás eu comprei o livro da Daniela Noce chamado Por uma Vida mais Doce. Eu descobri o site dela – o I Could Kill for Dessert – e fiquei maluca com aquelas receitas lindas que dão água na boca que me fazem esquecer que eu “vivo” de dieta e em comparação com os outros sites que eu via por aí de receitas de doces o dela dava vontade de fazer os doces!

O visual do site é lindo, o estilo dela é fofo, o histórico dela é super legal (Ela, assim como eu, também fez Moda então rolou uma identificação na hora), e o mais legal é que a maioria das receitas tinham vídeo!!! que dava mais segurança na hora de fazer a receita.

Então esse site virou meio que uma referência pra mim e sempre que vou pesquisar uma receita é no site dela que eu vou.

Aí num belo dia eu fui na Livraria Cultura, lá na Avenida Paulista, e encontrei o livro dela pra vender e na hora comprei e AMEI o livro, cheguei em casa e fiquei lendo o início dele que fala sobre os utensílios, as receitas base, os cremes e tudo mais. Eu queria aprender sobre confeitaria! Fiquei apaixonada! 🙂

IMG_2934

E com menos de uma semana e com todo o apoio da minha mãezinha, eu comecei a comprar tudo o que precisava pra começar a fazer doces: Batedeira universal, batedeira portátil, fouet, bicos de confeiteiro, saco de confeiteiro, formas, espátula, tigelas de aço inox, colher de pau, panela de fundo grosso, e mais um monte de coisa!

E quando tava com tudo aqui em casa comecei a fazer algumas receitas.

Até agora fiz poucas coisas… um arroz doce, cupcakes e rocambole.

Uma das receitas que mostrei pra vocês aqui é a do Creme Patissiere, retirado do livro da Dani e por ter aparecido numa das provas do MasterChef Brasil eu achei legal falar sobre ele.

Vídeo da aula com Fabrice Le Nud no MasterChef Brasil

Outro motivo de querer falar sobre o Creme Patissiere, ou creme de confeiteiro, é que comigo aconteceu de uma vez querer fazer um rocambole (a receita é do livro da Dani) chamado “Rocambole PapaBubble” que é um rocambole em homenagem àquela loja de balas artesanais chamada PapaBubble que tem lá em Pinheiros, aqui em São Paulo.

Balas artesanais PapaBubble:

bala004-jpg-1

O rocambole é lindo!!!! Mas eu achei dificílimo de fazer! Juro, tentei fazer umas 3 vezes mas a massa não ficava da altura de um dedo, fofinha, que nem de bolo de rolo mesmo, sabe? Ficava fininha….. E isso porque eu nem tentei fazer as listras de decoração pra massa que me dariam um trabalho redobrado! Mas amei ter feito! Fazer rocambole é uma loucura mesmo! Não é fácil!!! E acertar, ainda por cima, é mais difícil ainda. Mas mesmo assim ficou muito gostoso e aqui em casa a gente comeu todos os 3 que eu fiz.

Na verdade comemos 2, porque o 3º eu fiz pra levar pra seleção do programa da SBT, Bake Off Brasil – Mão na Massa.

Esse foi o rocambole que eu fiz:

11793228_10153055860512816_403051292_n 11798018_10153055860517816_303024604_n

E esse é o rocambole (fodão) da Dani Noce:

rocambole_de_pistache_e_framboesa_616x462

Esse rocambole PapaBubble tem recheio de creme de pistache com hortelã e pra fazer esse creme de pistache com hortelã é necessário fazer, em primeiro lugar, um creme de confeiteiro que vai ser a base do creme de pistache. 😀

Entendeu por que o Creme Patissiere é tão importante?

E você pode colocar esse creme de pistache com hortelã em recheios de bolo por exemplo, não só de rocambole… ou pode ser uma cobertura de um cupcake… aí vai da sua imaginação e de testar a receita pra ver se dá certo. 🙂

Então aqui vai pra você a receita do creme de pistache e hortelã, retirada do livro da Dani Noce:

Ingredientes:

Para o creme de pistache e hortelã:

  • 1/4 da receita de creme de confeiteiro
  • 20 folhas grandes de Hortelã
  • 100g de Pistache processado

Modo de preparo:

Para o creme de pistache e hortelã:

Faça 1/4 da receita de creme de confeiteiro (receita abaixo) sem a baunilha, mas infusionando o leite com 20 folhas grandes de hortelã. Ao final do preparo do creme acrescente 100g de pistache processado e misture bem. Coloque em uma travessa com plástico filme em contato e leve para a geladeira para gelar.

Ingredientes:

Para o creme de confeiteiro:

  • 240g de gemas
  • 1 litro de leite
  • 1 fava de baunilha
  • 125g de açúcar
  • 125g de açúcar
  • 80g de maisena

Modo de preparo:

Coloque na panela 1 litro de leite. Abra a fava de baunilha no sentido do comprimento e raspe a parte interna da fava. Adicione no leite. Acrescente 125g de açúcar e mexa levemente. Leve para ferver. Num recipiente à parte, acrescente os outros 125g de açúcar nas gemas. Misture um pouco e depois incorpore a maisena. Assim que o leite ferver, acrescente-o aos poucos (três conchas por vez) na mistura de gemas. A ideia é dar um choque térmico nas gemas. Coe a mistura e leve ao fogo médio, mexendo sem parar. Não pare de mexer, se não vai empelotar. Quando ferver (ou seja, quando a primeira bolha vier lá de baixo), conte um minuto mexendo sem parar e está pronto. Retire da panela, coloque em um recipiente, cubra com plástico filme e leve para geladeira por até 2 dias.